Remakes e homenagens ou falta de criatividade

Saudosismo, nostalgia, reverência ou falta de idéias melhores? Não sei o motivo, mas a onda de refilmagens que assola o cinema hollywoodiano ultimamente nunca foi vista antes. Senão vejamos: Os Caça-Fantasmas, Máquina Mortífera, Os Doze Condenados, A Hora do Espanto, A História Sem Fim. Fora os que já foram feitos como Fúria de Titãs, A Pantera Cor-de-Rosa, A Hora do Pesadelo, Tron, O Destino de Poseidon(tá ,esse já faz tempo). E os que receberam seqüencias quando se achava que os atores principais já estavam velhos demais: Indiana Jones, Rambo, Duro de Matar. Sem falar em versões cinematográficas das series de TV que nos faziam companhia à tarde: Esquadrão Classe A, Agente 86, Elo Perdido…

A lista é grande e meu objetivo não é nomear todos, mas já deu para ter uma idéia de como usar os mesmos personagens e as mesmas historias é lugar comum no cinema pop norte-americano. Mas o que eu quero comentar são os efeitos e as impressões que esta “jogada” de Hollywood me causa.

Primeiro: A maioria desses filmes é do fim dos anos 70 até o fim dos 80. Quem era criança ou adolescente nesta época(como eu), hoje está na casa dos 30 ou 40 anos de idade. Aqueles jovens que ficaram impressionados com as viagens de Marty Mcfly, as aventuras de Indy ou as matanças de John Rambo, hoje cultuam estes filmes. Estes jovens inocentes viam Fúria de Titãs e achavam o máximo ( recentemente revi o original e como filme nem é grande coisa, mas os efeitos especiais impressionam pela época que foram feitos). Nos dias atuais esse público é o maior consumidor de sabonete, pão, carros e…filmes. Sim, essa faixa etária corresponde a maior parte da população economicamente ativa no mundo. Então nada mais justo que uma indústria cinematográfica, mais preocupada com a lucratividade, foque seus esforços em fazer produtos para a maioria. Sim galera, somos a maioria( pelo menos nesse aspecto) e sim, gostamos de filmes que vimos quando nossa vida era mais fácil e talvez por isso ver Harrison Ford de chapéu de novo seja tão familiar e reconfortante.

Segundo: Os jovens de hoje se importam com estes clássicos? Bem, esse dias li no jornal que quando o ator Paul Newman morreu perguntaram para alguns jovens o que eles achavam e eles responderam: -“que Paul Newman, o das saladas?”( o ator tinha uma marca de saldas para reforçar a aposentadoria). Outro exemplo, conversando com um colega de trabalho que tem 19 anos não sabia que Fúria de Titãs(2010) era uma refilmagem!?!?!?!

Ou seja, os jovens não vão ver esses filmes pois tem a referência dos antigos e sim porque os efeitos visuais e as campanhas de divulgação são atrativas. Assim como o público de 30/40 vai porque querem ver seus velhos heróis com um acabamento visual mais apurado. No fim tudo se resume à imagem, os efeitos especiais e visuais são usados como “muleta” para roteiros ruins. E esses artifícios acabam conquistando todas as gerações? Parece que sim, vivemos uma era da imagem, da informação rápida e no fim o que não fica é o que mais nos agrada. Não queremos reter muita informação por muito tempo, o ideal é ver um filme e assim que saimos do cinema, já esquecemos metade, até chegar em casa esquecemos tudo(aconteceu comigo quando fui ver Wolverine Origens no cinema). Mas porque isso? Bem são muitos lançamentos, nossa atenção não pode ficar muito tempo em uma coisa só. Temos que abrir espaço na mente para novos desejos de consumo. E assim como os adolescentes e crianças já estão doutrinados nesse sentido, só falta os trintões que são a maioria da massa consumidora. Pensem nisso enquanto aguardamos o próximo remake.

Palhaços brasileiros

Começou 2011 e agora temos uma presidente mulher no Brasil. Pois é, mas também  temos um palhaço na Câmara dos Deputados Federais. Na real sempre houve palhaços lá, mas agora temos um palhaço profissional. Na verdade eu acho que os palhaços somos nós(o povo brasileiro), que recebemos salário mínimo de R$ 500 e poucos, enquanto eles (os deputados) aumentam seus salários quando dá vontade. Alguém aqui já pôde aumentar o próprio salário? Não né. Porque eles podem? Ah já sei, foram eleitos pelos palhaços(o povo brasileiro) que canta e dança no carnaval, se une para enfeitar as ruas na Copa e quando tem que votar, votam no Tiririca. Acho que o brasileiro tem o que merece, pelo menos a maioria.  Pois é a maioria que vota e escolhe essa gente que rouba, desvia, ignora o povo, se beneficia, etc… já sabemos disso, é bater numa tecla já desgastada. Mas porque as coisas não mudam. A ONG Avaaz faz um belo trabalho aqui no Brasil e no exterior. Graças a Avaaz pude participar de abaixo-assinados contra a pena de morte da Sakineh no Irã e a favor da Ficha Limpa no Brasil. Mas acho que muito mais pode e deve ser feito. Eu já mandei um e-mail para a Avaaz e espero que todos possam tirar uns minutos do seu dia para fazer o mesmo. Reivindiquem alguma ação contra o aumento dos deputados. Chega de omissão e alienação.

Dona Dilma

O fato de termos agora uma presidente (ou presidenta, os dois estão corretos) no Brasil, nem chama tanta atenção. Em um país machista como o Brasil isso é surpreendente. Mas a verdade é que se o ex-presidente Lula tivesse apoiado a candidatura de sua cachorrinha Michele para presidência, provavelmente ela teria vencido. Junto com o Tiririca.

Ainda acho que o destaque (negativo) nessas eleições é o aumento autoimposto do salário dos palhaços, digo deputados. Pois palhaços somos nós, alegres palhaços brasileiros.